Notícias do Mundo Motorizado

O que ainda não se sabia do Grenadier 4×4…

Triste com a notícia de que o último Land Rover Defender tinha acabado de sair da linha de produção, Jim Ratcliffe saiu do escritório e foi tomar uma cerveja. O terceiro homem mais rico do Reino Unido levou consigo com alguns dos directores da sua companhia; foram ao bar mais próximo, o Grenadier, em Londres. Depois de alguns copos, saiu determinado a relançar este modelo icónico. E como a Land Rover não lhe vendeu os direitos de produzir o “velho” Defender, recriou-o. Para tal, contratou alguns dos maiores especialistas: os engenheiros da Mercedes-Benz Technologies, que desenvolveram o Grenadier 4×4, e a BMW, que fornecerá os motores e transmissões.

A construção da fábrica onde o Grenadier 4×4 irá ser montado, já começou. Fica numa zona industrial a cerca de 30 quilómetros de Cardiff, capital do País de Gales. Para isso, foi determinante o apoio ao investimento, que o governo galês assegurou. E a escolha de Bridgend, não foi por acaso: quase ao lado de uma fábrica de motores da Ford, que tem os dias contados; encerrará definitivamente em Setembro de 2020, lançando no desemprego os 1700 empregados. A fábrica da Ineos Automotive, a marca criada por Ratcliffe, para dar corpo ao sonho de recriar o “velho” Defender, arrancará com cerca de 200 funcionários, em Bridgend. Dirk Heilmann, o engenheiro alemão que Ratcliffe escolheu para dirigir a Ineos Automotive, declarou que “poderemos chegar aos 500 funcionários em 2024/25!”

Jim Ratcliffe e equipa
DIANTE DO BAR GRENADIER, EM LONDRES, SIR JIM RATCLIFFE, AO CENTRO, RODEADO PELA EQUIPA QUE DIRIGE A INEOS AUTOMOTIVE. O PROJECTO NASCEU ENQUANTO TOMAVAM UMA CERVEJA NESTE BAR E FOI LÁ QUE FOI ANUNCIADO O ARRANQUE, EM SIMULTÂNEO COM O INÍCIO DA CONSTRUÇÃO DA FÁBRICA NO PAÍS DE GALES

Produção arranca em 2021 e o objectivo é vender 25.000

A produção do Grenadier 4×4 arrancará em 2021 e Heilmann estima que em três anos chegue à “velocidade de cruzeiro”. Os objectivos são uma produção anual de 25.000 unidades, para vender um pouco por toda a parte. Estamos a falar dos números da produção máxima anual do antigo Defender. E este “morreu” porque nos anos finais, a produção não chegou sequer a atingir as 20.000 unidades. O que faz Jim Ratcliffe e a sua equipa pensar que vão ter sucesso?

O próprio Ratcliffe decidiu as linhas essenciais deste veículo. Sem criar nada de novo, mas também sem copiar nada. O Grenadier 4×4 surgirá como um veículo original, “com linhas clássicas, mas com um design próprio”, anunciou Dirk Heilmann. O objectivo, sublinha Sir Ratcliffe, “é oferecermos um verdadeiro veículo de todo terreno. Foi pensado para assegurar um desempenho notável fora da estrada. O comportamento no asfalto, pelo contrário, não é a nossa preocupação. Quem o comprar, vai fazê-lo porque precisa de um veículo para andar onde os outros não chegam”.

Sir Jim Ratcliffe anunciou que “o Grenadier 4×4 poderá receber estofos em pele, mas apenas porque são muito resistentes e facilmente laváveis”. De resto, o equipamento do modelo é todo direccionado para o seu desempenho em todo terreno. “Não iremos sequer oferecer qualquer opção em matéria de info-entretenimento; quem procura isso, que use o seu smartphone!” Mas a lista de opcionais contemplará uma boa variedade de soluções para todo terreno e a aventura, com a vantagem de serem propostas e homologadas pelo próprio fabricante.

Fiabilidade e elevado desempenho T.T. são apostas

O dono do grupo Ineos, um dos maiores conglomerados da industria petroquímica, foi mais longe, ao apresentar o Grenadier 4×4. Promoveu uma conferência de imprensa invulgar, no próprio bar onde o projecto nasceu; para afirmar que “estamos em condições de preencher o lugar deixado vago pelo antigo Defender”. Sir Ratcliffe foi concreto, declarando que “já vimos o novo modelo e é muito interessante, mas não substitui plenamente o anterior”. Daí que a Ineos Automotive se sinta confiante quanto ao seu projecto.

“Sem querermos ser arrogantes, vamos apresentar um autêntico 4×4 para todo terreno que será tão apto nesta matéria quanto era o Defender, mas com a vantagem de ser fiável!” – promete Jim Ratcliffe.

Jim Ratcliffe
SIR JIM RATCLIFFE DEFINIU COMO ESSENCIAL PARA ESTE PROJECTO DOIS ASPECTOS: ELEVADO DESEMPENHO EM TODO TERRENO E, SOBRETUDO, ELEVADA FIABILIDADE

Para que a fiabilidade seja o grande factor que estabeleça a diferença, a Ineos apostou num conjunto de parceiros que são uma referência: a MB-Tech e a BMW. Esta última será a fornecedora de motores e transmissões: os blocos de 3,0 litros com seis cilindros em linha Twin-Power Turbo, a diesel ou gasolina, com caixa automática ZF de oito velocidades.

O contrato com a BMW garante unidades das últimas versões produzidas, mas com uma potência inferior à usada nos modelos da BMW. “Esta opção prende-se com o objectivo de garantir a maior fiabilidade ao Grenadier”, justifica Dirk Heilmann. O CEO da Ineos Automotive explica que “os motores, mesmo na configuração que prevemos, serão bastante potentes”.

MB-Tech é responsável por todo o projecto

Fundamental é o papel da MB-Tech, que a Ineos escolheu como parceiro para definir todo o projeto. Trata-se da empresa de engenharia que nasceu em 1995 como Mercedes-Benz Technologies e que embora trabalhe essencialmente para a “casa-mãe”, também o faz para concorrentes, como a BMW e a Porsche.

“Desenvolver um genuíno veículo de todo terreno é uma oportunidade rara”, declarou, a propósito deste acordo, Henry Kholstruck. O diretor-geral da MBTech revelou ainda que “o projeto envolve uma equipa de cerca de 200 engenheiros, que começaram a trabalhar na concepção do Grenadier, do design à engenharia, logo na primavera de 2018”.

A meio do ano passado, nos ateliers da MBTech, em Estugarda, já tinham sido construídas as primeiras “mulas”, usadas para ensaiar todas as soluções. Os primeiros protótipos do Grenadier 4×4 começaram a ser feitos ainda no final do ano passado e agora, que começa a contagem decrescente para o arranque da produção, os ensaios de desenvolvimento já seguem adiantados.

4×4, redutoras e três diferenciais bloqueáveis

O desenho do Grenadier 4×4 está perfeitamente definido. E embora se mantenha em segredo, podemos adiantar que as linhas foram desenhadas pensando nos ângulos de desempenho da carroçaria. A distância mínima ao solo é acima da média, para que possa rolar sem dificuldades nos caminhos mais duros. E como se trata de um modelo criado para ter um desempenho “excepcional fora da estrada”, conforme sublinha o seu “pai”, nada faltará nesse sentido.

A transmissão é do tipo 4×4 permanente, com caixa automática de oito velocidades e caixa de transferências, com relações longas e curtas. Além disso, o Grenadier 4×4 conta com três diferenciais, todos eles bloqueáveis; para que mesmo com as condições de piso mais difíceis, nunca perca a capacidade de progredir…

Por último, resta-nos contar o que já toda a gente sabia. Ou talvez nem tanto assim? O Grenadier 4×4 será integralmente montado em Bridgend, no Reino Unido, mas o chassis, de longarinas e travessas de aço, e as carroçarias, em alumínio, virão de Portugal. A Ineos prevê, conforme foi amplamente anunciado na imprensa portuguesa, construir uma fábrica no pólo industrial de Estarreja, no distrito de Aveiro. De acordo com as informações que dispomos, as carroçarias serão exportadas para o País de Gales já pintadas! E os motores e transmissões chegarão da Alemanha, também prontos a instalar.

O Grenadier 4×4 visa oferecer uma viatura excepcional aos profissionais que necessitam de deslocar-se constantemente fora da estrada. Por isso, “não pode ser caro”, sossega o CEO da Ineos Automotive. E sem dar valores previstos, Dirk Heilmann sempre fornece algumas pistas, ao dizer que as pick-ups 4×4 são, enquanto veículos de trabalho, os concorrentes mais directos!

Texto: Alexandre Correia

Fotos: Ineos Automotive/D.R.