Notícias do Mundo Motorizado

O CPR Continua ao Rubro

O Rali Vidreiro Centro de Portugal foi dos ralis mais disputados da época, com a vitória a sorrir por 0.3s para José Pedro Fontes, piloto da Citroen Vodafone Team sobre um Ricardo Teodósio fortíssimo apesar de se ter apresentado num Fabia R5 que não é o seu e com notórias limitações físicas – consequências de um despiste numa sessão de testes de preparação para o Rali. Bruno Magalhães com uma prova discreta levou com alguma tranquilidade o seu Hyundai ao terceiro posto impondo um ritmo regular, mas sem nunca conseguir ameaçar a dupla da frente. Já Armindo Araújo, Campeão Nacional em título, teve uma prestação que o deixou bastante desiludido obtendo um 5o posto, um toque na primeira PEC deixou marcas e nunca mais conseguiu impôr o seu ritmo para subir numa tabela que viu João Barros em boa forma atingir um honroso 4o lugar.

Agora, quando falta pouco mais de uma semana para o último Rali do Campeonato de Portugal de Ralis, é tempo de fazer um novo ponto da situação e pegar na calculadora. Mas mesmo a calculadora poderá não dar todas as respostas para já. Está tudo tão apertado que começamos já quase a entrar no campo da matemática avançada, cálculo de probabilidades e física quântica:

Classificação oficial:
1º – Ricardo Teodósio – 140,44 pts
2º – Bruno Magalhães – 132,38 pts
3º – Armindo Araújo – 116,94 pts
4º – José Pedro Fontes – 114,13 pts

Classificação Real (com os piores resultados já descartados):
1º – Ricardo Teodosio – 130,44
2º – Bruno Magalhães – 120,36
3º – Armindo Araújo – 116,44
4º – José Pedro Fontes – 112,45

Um a um:

Ricardo Teodósio
Dir-se-á que tem a faca e o queijo na mão, uma vez que poderá fazer um rali relativamente tranquilo dado que não está obrigado a vencer para atingir o objectivo. Na verdade o 3o lugar chega-lhe para garantir o tão desejado ceptro. A partir daqui já não dependerá só de si próprio. Um 4o lugar e uma vitória do Bruno Magalhães verá o título ir para o piloto de Oeiras. Um 6o lugar e uma vitória de Armindo Araújo consagrará o piloto de Santo Tirso como Bi-Campeão. Para perder o campeonato para José Pedro Fontes, terá que fazer 6o lugar ou pior e José Pedro Fontes terá que vencer todas as PEC.
De realçar que o Rali até poderá correr muito mal para o Algarvio, uma vez que por causa da regra do descarte do pior resultado do ano, se obtiver pior que um 6o lugar o resultado será para descartar, ficando com os 10 pontos do eventual 2o pior resultado, logo, 140,44 pontos

Bruno Magalhães
Para o piloto da Hyundai Motorsport Portugal um segundo lugar será suficiente, caso o Ricardo Teodósio fique no máximo em 6o e não seja Armindo Araújo a vencer o Rali. A conta mais simples será se obtiver a vitória e que o piloto da ARC Sport fique na melhor das hipóteses no 4o posto.

Armindo Araújo
Para o Campeão Nacional a vitória chega apenas se Ricardo Teodósio ficar em 6o ou pior.

José Pedro Fontes
O piloto da Sports & You precisa de fazer um Rali imaculado, vencendo todas as PEC, e esperar que o actual líder do campeonato não faça melhor que um 6o posto. Mas ainda assim poderá não chegar. Além da vitória e do mau resultado de Teodósio, Bruno Magalhães terá que ficar no máximo no 3o posto.

Posto isto, espera-se um Rali Casinos do Algarve absolutamente empolgante, com 3 corredores de “faca nos dentes” e um Ricardo Teodósio com possibilidade de gerir a vantagem tentando não cometer erros que lhe estraguem o plano delineado desde o início da época – sagrar-se campeão nacional de Ralis em casa.

O Rali Casinos do Algarve estará na estrada nos próximos dias 1 e 2 de Novembro.