Notícias do Mundo Motorizado

ARC Sport: Foi o rali possível com experiências muito positivas

A prova inaugural do Campeonato de Portugal de Ralis não foi a ideal para as aspirações da ARC Sport, mas deixou ficar indicativos muito importantes para a longa temporada que ainda agora começou. Os campeões nacionais Ricardo Teodósio e José Teixeira terminaram no pódio e perceberam que podem fazer muito melhor. A agradável surpresa partiu de Miguel Correia e Pedro Alves que terminaram no “top 5” do CPR, enquanto Paulo Neto e Vítor Hugo mostraram fantástica adaptação ao novo carro.

Teodósio tentou sempre fazer melhor

Ainda agora começou a longa luta pela revalidação do título, e Ricardo Teodósio esteve sempre na discussão das primeiras posições, chegando a vencer duas especiais de classificação. O Skoda Fabia R5 Evo esteve sempre em bom plano, mas desta vez o piloto algarvio não alcançou o resultado desejado.

Fui eu que falhei! Tentei tudo, mas não foi possível. Precisava de ter testado na chuva, e com estas condições foi preferível trazer o carro intacto até ao fim, sem arriscar sequer lutar pelo 2º lugar. Penso que se não tivesse chegado a chuva e o nevoeiro, as coisas poderiam ter sido diferentes”, desabafou Ricardo Teodósio, que já está focado na próxima prova do calendário: “Vamos apostar forte no Rali dos Açores. Noto grande diferença neste carro para melhor, mas falta-me confiança. Quero agradecer o trabalho da ARC Sport, que manteve o carro sempre impecável, e com a sua ajuda as coisas vão certamente correr melhor. O campeonato ainda está só no principio”, rematou o piloto.

Miguel Correia deu um grande passo em frente

Com a abertura do campeonato, Miguel Correia e Pedro Alves apontam para uma evolução constante aos comandos do Skoda Fabia R5. Nos exigentes troços da região de Fafe, a equipa esteve em excelente plano, acabando a prova no 5º lugar do CPR.

A classificação foi ótima, e se não fosse o azar da manhã, até poderia ter sido melhor. Mesmo a gerir andamentos, a prova foi muito difícil, mas o balanço é extremamente positivo. Depois deste rali, tenho a certeza de que demos um passo em frente na condução do Skoda e na minha evolução como piloto. Entusiasmado com este resultado, só queria mesmo que o rali dos Açores fosse já amanhã”, gracejou Miguel Correia.

Paulo Neto teve experência positiva e agitada

Pela primeira vez aos comandos de um carro da categoria R5, Paulo Neto e Vítor Hugo tiveram de lidar com uma penalização e dois furos, que impediram a equipa de continuar em prova, já na reta final do rali. Apesar de tudo, foi um excelente ensaio com o Skoda Fabia e com tempos extremamente positivos.

Acho que o carro é mais fácil de conduzir em terra que em asfalto. Conseguimos tempos muito satisfatórios, embora saiba que, para melhorar, vai ser preciso muito trabalho. Com a larga experiência e excelente organização da ARC Sport, que que fez um trabalho técnico fabuloso nas afinações do carro, os tempos que conseguimos chegaram a ser surpreendentes. Foi uma experiência positiva para o futuro, embora os dois furos seguidos nos impedissem de continuar em prova”, disse Paulo Neto.

Para Augusto Ramiro este foi apenas o rali possível, e não a forma idealizada para começar o campeonato. No entanto, retiraram-se bons indicadores para uma longa e muito competitiva época.

O Ricardo Teodósio começou o campeonato com um pódio, mas temos a certeza que vai ser possível fazer muito melhor no futuro. O Miguel Correia teve uma participação fantástica, demonstrando uma evolução bem planeada e conseguida. Em relação ao Paulo Neto, conquistou muita confiança na condução do novo carro, conseguindo registos promissores. A todos os elementos da nossa equipa, quero agradecer o habitual empenho e elevado grau de profissionalismo demonstrado”, disse o responsável pela ARC Sport.