Notícias do Mundo Motorizado

José Pedro Fontes e Inês Ponte em busca do “TRI”

Pouco menos de um mês depois do último confronto realizado em pisos de asfalto, o Campeonato de Portugal de Ralis 2020 terá, no final desta semana, a sua sexta jornada, o Rali Terras d’Aboboreira (Amarante, Baião, Marco de Canaveses), prova organizada pelo Clube Automóvel de Amarante, que marca o regresso aos pisos de terra.

Vencedora das suas duas anteriores edições, são, por isso, elevadas as expectativas sentidas por toda a equipa Citroën Vodafone Team, que mantém José Pedro Fontes e Inês Fonte em luta pelos títulos de 2020 do CPR e está apta a voltar a demonstrar as potencialidades do seu Citroën C3 R5, tentando levá-lo a novo triunfo.

“São, de facto, grandes as expectativas para o Rali Terras d’Aboboreira, prova que pelas razões óbvias é muito do nosso agrado. Claro que tivemos de fazer um pequeno ‘reset’ depois das duas provas de asfalto, neste regresso do CPR aos pisos de terra, de uma prova que como tantas outras teve de ser reagendada no calendário devido à pandemia, mas nada a que não estejamos habituados. O nosso C3 R5 já por diversas vezes demonstrou o seu potencial em pisos de terra, para além de que os testes que realizámos também têm deixado muito bons resultados, pelo que é com elevado ânimo que enfrentamos este novo encontro com os nossos adversários”, refere José Pedro Fontes.

“Num Rali Vidreiro de má memória, pelas razões de todos conhecidas, alcançámos, em termos estatísticos, um 3º lugar, mas que apenas atribuiu um pequeno proporcional de 25% dos pontos em jogo, pelo que as contas para o nosso campeonato ficaram mais apertadas. Mas não nos vamos dar por vencidos, pois a possibilidade de chegarmos aos títulos ainda é real, ainda que muito difícil e dependente de vários fatores, nomeadamente as prestações dos nossos principais adversários. Há dois ralis por disputar – este Terras d’Aboboreira e o Casinos do Algarve – pelo que nos resta mostrar toda a nossa capacidade e lutar pelo 1º lugar em ambos os ralis. No final far-se-ão as contas!”

Este segundo rali de terra do ano – o primeiro foi o Serras de Fafe, a abrir a temporada – compõe-se de 2 Etapas e desenha-se ao longo de 6 Especiais (100,38 km cronometrados), num programa que se inicia na manhã de sexta-feira (30 outubro) com o Qualifying (08h30/10h00) e o Shakedown (10h00/11h30),
Em termos competitivos, o Rali Terras de Aboboreira tem Partida para a 1ª Etapa agendada para as14h00), numa tarde onde as equipas têm pela frente uma dupla passagem pelo troço de Aboboreira (16 km; às 14h40 e 16h15), havendo duas visitas ao Parque de Assistência, uma antes dos troços (14h00) e outra no final dos mesmos (17h40), esta última antecedendo a entrada dos carros em Parque Fechado (18h25).

No sábado (31 outubro) corre-se uma 2ª Etapa que se inicia às 8h45, integrando as especiais de Amarante (23,67 km) e Baião (10,52 km), troços igualmente cumpridos por 2 vezes, antecedidas por entradas no Parque de Assistência (8h45 e 12h35) antes do cumprimento das duas rondas. O pódio final do Rali Terras d’Aboboreira está agendado para as 16h00 em Marco de Canaveses, centro nevrálgico da prova, antes da entrada das viaturas em Parque Fechado (16h10), para as verificações finais.

A título de informação complementar, para o CPR 2020, numa altura em que faltam disputar duas provas – este Rali Terras d’Aboboreira e o Rali Casinos do Algarve – estão ainda em jogo mais de 60 pontos: cada vitória vale 25 pontos, um 2º lugar atribui 20 pontos e um 3º soma 17 pontos; há 5 pontos para dividir pelos vencedores dos respetivos troços de cada um dos ralis; também em cada rali há 3 pontos a atribuir ao vencedor da Power Stage, normalmente o último troço da prova; segundo o regulamento, no final da temporada cada Piloto/Navegador terá de deitar fora o seu pior resultado para assim se encontrarem as pontuações finais do CPR 2020.