Notícias do Mundo Motorizado

Acabou-se a espera, o RX Portugal by Transwhite já começou

Foi com um fantástico dia de sol, as com temperaturas quase sempre de apenas um dígito, que o Campeonato de Portugal de Ralicross by Transwhite arrancou neste sábado em Montalegre e a verdade é que nem o frio afastou o público do regresso as emoções à pista.

Com apenas uma corrida de Qualificação neste primeiro dia competitivo, mas com os Treinos Cronometrados a ganharem nova importância já que não só determinam a ordem da grelha de partida, mas também representam um ponto extra para quem assina a pole position, a jornada contou ainda com mais uma novidade: o regresso às pistas do Camião Racing, em formato de prova de demonstração.

Contudo, antes desse regresso, os olhos recaíram, primeiro, sobre os Iniciados, categoria onde Gonçalo Rocha se revelou o mais forte. Terceiro na época passada, o jovem do Peugeot 208 não teve grandes dificuldades para se impor a Rafaela Barbosa, enquanto Duarte Camelo foi um distante terceiro. Quem não teve sorte foi Guilherme Nunes. Autor do pole, o jovem do Peugeot 106 acabou num rail logo na primeira volta.

Já nas 2 Rodas Motrizes, o Campeão Adão Pinto começou muito bem ao somar o primeiro ponto do ano, mas viu-se depois batido em prova e não conseguiu ir além do quarto lugar. Isto enquanto Bruno Campos, apenas terceiro nos cronometrados, levou de vencida a corrida à frente de Paulo Sousa e do seu BMW E30 vermelho e de Carlos Pacheco.

Enquanto isso, na Nacional 1.6 a luta fez-se sempre a dois, com Ricardo Costa a impor-se nos treinos cronometrados, mas a ser depois batido por Pedro Rocha na corrida.

No que toca aos Super Cars, Oscar Ortfeldt começou melhor com a conquista da pole position, mas depois acabou por não alinhar na corrida, deixando caminho aberto para a vitória fácil de José Oliveira, já que Tiago Alexandre não teve a sorte do seu lado e acabou por ceder mais de 10 segundos.

Já nos mais jovens do Kartcross, no Troféu Júnior Kartcross, pole position e vitória na corrida para Yéssica Santalla. A espanhola do LBS apresentou-se fortíssima e não qualquer hipótese aos rivais, com Gustavo Henriques a quase 15 segundos para a vencedora e Guilherme Matos a fechar o pódio a 16s da frente.

A fechar o programa, o Camião Cross. Com nove gigantes em pista, o triunfo ficou a cargo de Bruno Neto, que gastou 4:36,868s para efectuar as cinco voltas da praxe ao traçado montalegrense com o seu Mercedes. Atrás dele, a armada da MAN, com José Rodrigues em segundo, Bruno Borges no mais baixo do pódio e Eduardo Rodrigues em quarto.