| | | | | | | | |   

Esta época começou a arder

24 March , 2019
Nuno Matos venceu a Baj TT do Pinhal

Nuno Matos e Pedro Marcão começaram esta época estreando uma nova pick-up. Na primeira saída com a Fiat Fullback proto, a dupla de Portalegre obteve uma vitória incontestada!

Foi mesmo assim que começou esta época do Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno AMI48. Ou melhor, foi literalmente a arder que se concluiu a primeira prova da temporada: o derradeiro sector da Baja TT do Pinhal teve de ser encurtado devido a um incêndio florestal que deflagrou na área de Vila Velha do Ródão, onde a corrida terminou e onde Nuno Matos e Pedro Marcão celebraram uma vitória sem contestação!

João Ramos
A Toyota Hilux de João Ramos e Victor Jesus obteve mais uma vitória num prólogo, mas os campeões nacionais retiraram-se no final do primeiro dia, quando estavam na segunda posição

Na estreia da sua nova pick-up, uma Fiat Fullback Proto, o piloto de Portalegre somente não liderou no prólogo, mas já terminou o primeiro dia de prova na dianteira, desde logo com quase três minutos de avanço sobre a dupla campeã nacional em título, João Ramos e Victor Jesus. A Toyota Hilux de Ramos foi a mais rápida no prólogo, onde o piloto ofereceu um espectáculo de condução ao melhor nível, batendo por dez segundos um trio de adversários onde se contaram, por esta ordem de classificação, Pedro Silva e José Janela, com uma Ford Ranger, Nuno Matos e Pedro Marcão, com a Fiat Fullback, e ainda Tiago Reis e Valter Cardoso, com o Mitsubishi Racing Lancer que há pouco mais de uma década corria com as cores oficiais da marca japonesa.

Alexandre Ré
Os irmãos Alexandre e João Ré nunca conseguiram atacar os líderes, mas a Volkswagen Amarok dominou o segundo lugar absoluto!

Para os campeões o arranque foi mesmo a doer

Adiantar-se por 10 segundos a todos os 30 adversários que teve de enfrentar na prova organizada pela Escuderia Castelo Branco não é nada de novo para João Ramos, que nos últimos anos tem coleccionado inúmeras vitórias em prólogos. Todavia, este novo triunfo teve o seu quê de surpreendente. Tudo porque na manhã de sábado, quando Ramos e o seu navegador, Victor Jesus, reconheciam o percurso do prólogo com uma moto, sofreram um acidente que resultou em duas costelas partidas para o piloto e nalgumas escoriações para o seu companheiro. A vontade de competir terá sido mais forte que as dores, pois nem assim abdicaram de arrancar para a prova e à vitória no prólogo somente não somaram o triunfo no primeiro dos três sectores selectivos porque sofreram um furo e o tempo que necessitaram para trocar a roda traseira direita, agravado pela má forma física, fê-los descer ao segundo posto, por troca com Nuno Matos e por um atraso de dois minutos e 41 segundos.

Aparentemente, a primeira etapa terminaria com as perspectivas de um renhido duelo entre Matos e Ramos, mas isso desde logo desvaneceu-se. Nos últimos metros do troço cronometrado a roda posterior esquerda da Hilux do campeão nacional de 2018 saltou e cortou a linha de chegada a rolar apenas com três rodas. Já depois de sair da área de controlo, ao inspeccionarem o carro, Ramos e Jesus verificaram que faltavam quatro dos cinco pernos de encaixe da roda. Ainda montaram uma roda sobressalente, mas perceberam que não iria resistir à meia-dúzia de quilómetros até ao parque de assistência somente fixada por um perno, ainda para mais torcido. Não era difícil adivinhar que a roda saltaria de novo e os danos no conjunto da suspensão e travões eram certos. A decisão de desistirem logo aí foi, portanto, a mais sensata. E não menos dolorosa que as lesões provocadas pelo acidente da manhã…

Tiago Reis
Do décimo ao terceiro lugar final, Tiago Reis e José Janela evidenciaram-se por uma recuperação notável, demonstrando de novo que o “velho” Mitsubishi Racing Lancer continua a ser um carro bastante competitivo

Por apenas 29 segundos definiu-se o terceiro lugar!

Liberto da oposição de João Ramos, Nuno Matos arrancou para a segunda etapa com quase seis minutos de vantagem sobre a Volkswagen Amarok de Alexandre e João Ré.

Nos 172,43 km do segundo sector selectivo, a distância entre estas duas equipas dilatou-se para pouco mais de um quarto de hora, o que fez com que o comandante encarasse o sector final com maior tranquilidade e, sobretudo, sem necessidade de prosseguir com um andamento muito forte. Isso terá ajudado ainda mais Tiago Reis a ser o mais rápido no último troço, onde em menos de quatro dezenas de quilómetros Nuno Matos concedeu quase um minuto e meio à Amarok dos irmãos Ré, também eles a sentir-se confortáveis no segundo lugar, que parecia consolidado.

Pelo contrário, quem não parou nunca de atacar foi, precisamente, Tiago Reis, que já nos derradeiros quilómetros conseguiu adiantar-se à Ford Ranger de Pedro Dias da Silva, conquistando sobre a meta um mais do que merecido terceiro lugar absoluto, por 29 segundos de vantagem. Esta foi a diferença mais reduzida entre dois dos 20 concorrentes que terminaram a prova e realça o valor da recuperação empreendida desde o prólogo por Tiago Reis, que começou por ocupar o décimo lugar.

João Rato
O Land Rover TD5 Wilcat de João Rato e “Cajó” Mendes juntou à vitória em T8 um excelente sexto lugar absoluto

Os “outros” vencedores também merecem destaque!

Quanto aos outros vencedores da Baja TT do Pinhal, há que salientar o triunfo de João Rato e Carlos Mendes na categoria T8. A dupla do Land Rover TD5 Wildcat conquistou ainda um belíssimo sexto posto absoluto, posicionando-se imediatamente à frente dos seus mais directos adversários em T8, Rui e Miguel Marques, numa “velha” Nissan Pick-Up Navara D21, preparada em Mação pelo próprio piloto!

Na categoria T2, a vitória foi conquistada pelo Nissan Pathfinder de Nuno Corvo e José Camilo Martins, que deixaram os adversários mais directos, Georgino Martins e Carlos Silva (Isuzu D-Max), a mais de três minutos e meio.

Finalmente, entre os três “sobreviventes” que concorreram para a Taça de Portugal de TT, a primazia coube a Tiago Santos e António Dias, cujo Land Rover Defender se adiantou por pouco mais de um par de minutos à Nissan Navara de José Maia e Gustavo Gaudêncio.

A próxima prova do Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno AMI48 será a Baja de Loulé, de 12 a 14 de Abril próximo.

Nuno Corvo
O triunfo no grupo T2 foi conquistado pelo Nissan Pathfinder de Nuno Corvo e José Camilo Martins

Fotos: Albano Loureiro/Alexandre Correia




por:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Redes Sociais

Parceiros




Grupo PressXL

 
 
 

WebLinks