Notícias do Mundo Motorizado

24 Horas TT Vodafone Vila de Fronteira

Mário Andrade levou pela quarta vez o Renault Moncé Clio V6 à vitória em Fronteira, tomando conta da corrida a partir da 10ª hora. Um verdadeiro especialista em provas de resistência, o português radicado em França formou equipa com os portugueses Carlos Sousa e Francisco Pita, e ainda com o francês Cédric Duplés para mostrar que no circuito alentejano a equipa luso francesa tem sempre uma palavra a dizer. Com uma estratégia bem montada, como exige uma prova de 24 horas, o Clio Moncé voltou a subir ao lugar mais alto do pódio, depois dos triunfos em 2004, 2007 e 2009 e até de um segundo lugar em 2006. Um caso sério de resistência, que este ano contou também com o super contributo de um piloto fantástico que dá pelo nome de Carlos Sousa.

Se a vitória da equipa de Mário Andrade fica para a história das 24 Horas TT Vila de Fronteira, não tem menor realce o fantástico segundo lugar alcançado por uma equipa totalmente portuguesa, ao volante de uma “velha” mas muito resistente Nissan Navara, preparada pela “Tim Competições” e superiormente tripulada por Américo Santos, um piloto muito dotado e que passou ao lado de uma grande carreira por falta de apostas financeiras. Américo Santos foi Campeão Nacional de todo o terreno na categoria T2 em 2006 e 2007 e não resistiu a participar na edição deste anos das 24 Horas de Fronteira, formando equipa com José Amado e Igor Marques. Em boa hora o fez, e com algumas limitações de material, conseguiu mostrar como é possível brilhar numa prova de resistência com um orçamento limitado.

No último lugar do pódio classificou-se a equipa “familiar” italiana composta por pai, filho e sobrinho. António, Michelle e Giovanni Manfrinato levaram o Renault Mégane Proto ao terceiro lugar final, à frente de uma legião estrangeira que lutou sempre pelo lugares da frente.

Entre os pilotos portugueses existiram vários destaques ao longo da prova, comprovando que esta também já é uma especialidade dos pilotos lusos. No disputado Desafio ELF Mazada, o triunfo coube à equipa formada por Rui Lopes, João Pais, Durval Costa e Hélder Oliveira, embora João Rato fosse o consagrado vencedor da edição de 2011 deste troféu monomarca, sucedendo assim aos dois triunfos consecutivos de João Pais.

Muita animação no terródromo de Fronteita, numa prova de 24 horas muito bem organizada pelo ACP, sendo já uma referência mundial entre as provas de resistência. Pelo menos para já, a crise parece não estar a passar por terras alentejanas.