Notícias do Mundo Motorizado

A contagem decrescente para o final já começou

Começou a contagem decrescente para o final do Rali Dakar 2021. Aparentemente, o momento mais difícil da prova foi ultrapassado nos últimos dois dias. Foi com a etapa maratona, em que não foi possível dispor dos meios de assistência ‘normais’. Superar esta dupla etapa sem conhecer problemas é um desafio para todos. Um desafio que os portugueses superaram com distinção. De tal modo que nos veículos ligeiros registámos o nono lugar do Can-Am de Rui Carneiro e Filipe Serra à chegada a Neom. E o Can-Am de Lourenço Rosa e Joaquim Silva está no 11º posto absoluto! Nos automóveis, Ricardo Porém e Jorge Monteiro assinaram o 14º melhor tempo, levando o Borgward EX7 Evo a subir até ao 20º posto da classificação geral.

Agora que faltam já apenas quatro etapas, o Rali Dakar entra na sua fase decisiva. É o momento em que, inevitavelmente, na cabeça de todos os protagonistas começa a contagem decrescente para o final. Na frente da classificação dos automóveis, Stéphane Peterhansel e Nasser Al-Attiyah prosseguem com o duelo que se arrasta desde início.

O francês da Mini lidera agora com 4 minutos e 50 segundos de avanço sobre o seu adversário da Toyota, que ao ganhar a oitava etapa, atingiu as 40 vitórias. Al-Attiyah venceu pela primeira vez no ‘Dakar’ em 2006, corria então com um BMW X5 do Team X-Raid. Desde então, o piloto do Qatar venceu sempre pelo menos uma etapa em cada edição do ‘Dakar’ em que esteve presente. Mas ainda lhe faltam sete vitórias para alcançar as 47 de Peterhansel, que para chegar ao recorde de Ari Vatanen, ainda terá de vencer mais três vezes. Curiosamente, o Mini John Cooper Works Buggy de Peterhansel ainda não ganhou uma etapa neste rali, que lidera desde a segunda jornada…

O Borgward de Porém e Monteiro já chegou ao 20º posto

ricardo_porem_e_jorge_monteiro
O MELHOR REGISTO DA DUPLA RICARDO PORÉM/JORGE MONTEIRO FOI O 14º POSTO QUE OBTIVERAM NA OITAVA ETAPA, AO CONCLUIREM A DUPLA JORNADA ‘MARATONA’. GRAÇAS A MAIS ESTE RESULTADO, JÁ ESTÃO NO 20º LUGAR ABSOLUTO

À partida para a nona etapa, uma larga ronda com início e final em Neom, no noroeste da Arábia Saudita, são muitas as posições ainda estão em aberto e não apenas entre os dois primeiros automóveis. Para os portugueses que competem nos automóveis, a contagem decrescente para a chegada aumenta a ansiedade; o regresso a Jeddah aproxima-se, mas ainda há muitos quilómetros pela frente. Filipe Palmeiro, que corre ao lado do lituano Benediktas Vanagas, baixou uma posição, descendo ao 12º lugar. Por apenas 51 segundos, foram batidos pelo Peugeot 3008 DKR de Cyril Despres…

O Borgward EX7 Evo de Ricardo Porém e Jorge Monteiro prossegue a gradual recuperação desde a primeira jornada. Nesta etapa maratona, apanharam um susto, quando Porém viu que o computador de bordo assinalava problemas com um diferencial. Mas se isso poderia colocar em risco a oitava etapa, a verdade é que não só não tiveram quaisquer problemas, como conseguiram até o melhor resultado absoluto até agora. Foram os 14ºs mais rápidos dos automóveis! A maior rapidez recompensou-os com a ascensão ao 20º lugar absoluto, além de lhes permitir partir para a nona etapa atrás de pilotos mais rápidos, o que é sempre uma boa ajuda.

José Marques continua a sua aventura ‘lituana’

A terceira equipa dos automóveis que ostenta uma bandeira portuguesa também tem outra da Lituânia. José Marques é o navegador de Gintas Petrus, a bordo de um buggy 4×2 com enorme motor V8 da Chevrolet. Na sétima etapa conseguiram ascender ao 33º posto da classificação geral, que mantiveram na segunda jornada da etapa maratona. Contam com menos de um minuto de atraso relativamente à equipa que os antecede. Assim, nesta fase de contagem decrescente para terminar, Petrus e José Marques têm boas perspectivas de subir ainda mais na classificação.

rosa_e_dias
AO PENALIZAREM 28 MINUTOS E 30 SEGUNDOS POR TEREM FALHADO UM PONTO DE PASSAGEM, LOURENÇO ROSA E JOAQUIM DIAS COMPROMETERAM A ENTRADA NO GRUPO DOS 10 MELHORES. À PARTIDA DA NONA ETAPA, O CAN-AM DOS PORTUGUESES É O 11º CLASSIFICADO EM TERMOS ABSOLUTOS, MAS AINDA HÁ CORRIDA PELA FRENTE

Portugueses destacam-se nos ‘veículos ligeiros’

Os homens que representam Portugal nos veículos ligeiros têm estado a fazer provas distintas, mas igualmente bem sucedidas. Fortemente atrasados logo ao início, sobretudo por terem furado até esgotar os pneus sobressalentes, ficando parados na pista à espera de apoio, Rui Carneiro e Filipe Serra brilharam na oitava etapa. Foram os nonos mais rápidos, mas a quatro dias da chegada estão ainda no 29º posto. A aprender para regressarem melhor preparados.

Também estreantes no ‘Dakar’, Lourenço Rosa e Joaquim Dias têm vindo a fazer uma prova mais regular, que desde cedo os mantém mais próximos dos lugares da frente. Por um triz não chegaram ao 10º lugar absoluto, mas na oitava etapa perderam tempo precioso, que os fez recuperar apenas até à 11ª posição. Além do tempo perdido com um furo e com um andamento mais cauteloso, depois de terem percebido que uma roda traseira estava empenada, Rosa e Dias pagaram caro a falha de um ponto de passagem: sem os 28 minutos e 30 segundos de penalização, estavam no 10º lugar. Mas a motivação para continuarem a atacar e subir mais lugares permanece enorme!

Por fim, uma referência aos nossos dois ‘motards’. Nem Joaquim Rodrigues (Hero), nem Rui Gonçalves (Sherco) foram particularmente felizes nesta dupla etapa maratona: andaram longe dos lugares da frente, mas não perderam posições. Rodrigues terminou na 26ª posição, mas manteve o 16º posto absoluto. Por sua vez, Gonçalves, que sofreu uma queda, foi apenas o 40º na etapa e, apesar de tudo, ainda conseguiu melhorar a classificação geral, subindo ao 25º lugar.

Texto: Alexandre Correia Fotos: D.R.