Notícias do Mundo Motorizado

Faggioli aposta forte nos pneus e vence em Boticas por margem de 32 milésimos!

Com um “sprint” final verdadeiramente espetacular e impróprio para cardíacos, o italiano Simone Faggioli (Norma M20 FC) venceu, este domingo, a Rampa de Boticas, na abertura do Campeonato da Europa de Montanha, ao bater o seu compatriota e rival Christian Merli (Osella FA 30) pela escassa diferença de 32 milésimos de segundo! José Correia (Osella PA 2000) terminou como melhor português, num excelente décimo lugar absoluto.

“O meu segredo para conseguir esta vitória? Joguei tudo na utilização de um jogo de pneus de mistura super macia da Pirelli na última subida de prova. Era a minha única chance de anular a vantagem do Merli. Correu tudo na perfeição e venci. Gostei bastante desta Rampa de Boticas, desde o traçado ao evento em geral. Portugal está de parabéns!”, palavras de Simone Faggioli

Num domingo que começou chuvoso, de acordo com as previsões meteorológicas, tudo indicava que a classificação se decidiria sob piso molhado, mas a verdade é que ao fim da manhã chegava o sol e o vento ajudou, entretanto, a secar o asfalto da rampa. Portanto, acabaram por ser as duas subidas sem chuva, a primeira das quais no sábado, a ditar quem eram os mais rápidos e Faggioli esteve diabólico com os pneus super macios, ao conseguir 1m57.455s (média de 154,12 km/h), anulando a desvantagem da véspera para dispor entrar no Europeu com o pé direito e uma margem suficiente para vencer a prova organizada pelo Demoporto.

Já vencedor da prova de abertura, em Setúbal, do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group, José Correia esteve intocável em Boticas, levando o seu Osella ainda a um excelente décimo lugar absoluto, sendo que entre os protótipos B António Rodrigues (BRC CM 05 Evo) bateu por margem folgada Nuno Guimarães (Silvercar S2).

Luís Nunes, por seu turno, sagrou-se vencedor da classe Turismo 1, ao volante do Ford Fiesta ST R5, confirmando o favoritismo que lhe era atribuído, face a Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer) e Daniela Marques (Subaru Impreza WRX).

Entre os GT, o campeão Vítor Pascoal (Porsche 991 GT3 Cup) nunca conseguiu bater Pedro Marques (Porsche 991 GT3 Cup), registando-se uma diferença final entre ambos de quase 6 segundos.

Entre os TCR (Turismo 2), adivinha-se um duelo interessante entre os pilotos transmontanos Joaquim Teixeira (Seat Cupra TCR) e Luís Delgado (KIA Ceed TCR), mas os problemas de motor deste último na derradeira subida deixaram o seu rival com uma margem folgada, cabendo o último lugar do pódio a Paulo Sousa (Audi RS3 LMS).

Interessante de seguir foi também a luta pela primazia na classe Turismo 3 e se durante algum tempo foi o campeão em título Parcídio Summavielle (Renault Clio RS) a ditar a sua lei, na última subida Sérgio Nogueira (Renault Clio RS) chamou a si a vitória final, por diferença inferior a um segundo, sendo Daniel Vilaça (BMW 1602) o terceiro mais rápido.

Ricardo Loureiro (Ford Escort MK II) triunfou nos Clássicos, José Carlos Magalhães (BMW M3) nos Legends, enquanto Luís Rodrigues (Fiat Punto 85S) colheu os louros na Taça de Portugal 1300. Na Taça de Portugal de Clássicos, Eva Laranjeira (Peugeot 205 Rallye) terminou em primeiro, na frente de Domingos Fernandes (Autobianchi A112).