Notícias do Mundo Motorizado

Henrique Chaves: Ritmo competitivo merecia mais

Henrique Chaves conquistou um resultado positivo na primeira ronda da temporada deste ano do GT World Challenge Europe Endurance Cup, que teve lugar este fim-de-semana no Autódromo Dino e Enzo Ferrari, mas não deixa de sentir alguma desilusão, dado seu ritmo de corrida lhe permitir aspirar à vitória.

O jovem português e os seus colegas de equipa mostraram competitividade desde o primeiro momento aos comandos do McLaren 720S GT3 da Garage59, o que lhes permitia olhar para o evento de Imola com optimismo.

No entanto, com tantos carros num circuito tão curto, mais de cinquenta para uma extensão inferior a cinco quilómetros, a qualificação revelou-se um exercício complicado, acabando o trio do carro britânico no terceiro lugar da classe Pro-Am.

Henrique Chaves e os seus colegas de equipa não esmoreceram e Alexander West, que realizou o primeiro turno de condução, conseguiu ascender ao comando da classe, o que deixava boas perspectivas para o trio da Garage59

Porém, quando Miguel Ramos saiu das boxes para a segunda hora de corrida tinha caído para o terceiro posto da classe, a cerca de vinte segundos do segundo classificado, devido a uma paragem lenta nas boxes. O português realizou um bom “stint”, muito rápido, ganhando catorze segundos ao seu adversário.

A segunda troca de pilotos acabaria por voltar a ser demasiado morosa, atrasando novamente o carro inglês. Henrique Chaves não baixou os braços e, com um ritmo bastante rápido, recuperou terreno face ao seu perseguido, passando a lutar pelo segundo posto.

Já perto do final, depois de ascender à vice-liderança, ao assumir uma abordagem de segurança na dobragem a um piloto atrasado, acabou por perder mais tempo que o desejado, vendo-se suplantado.

No final, o português cruzava a linha de meta no terceiro posto da classe Pro-Am, um resultado que vale, sobretudo, pelo ritmo evidenciado. “Penso que eramos a equipa mais rápida em pista e, em circunstâncias normais, ganharíamos a corrida na nossa classe e, por isso, este terceiro lugar não tem o sabor que nos agradaria. As nossas paragens nas boxes não foram tão rápidas como deveriam e perdemos muito tempo. No entanto, mostrámos que somos competitivos e que seremos contendores aos triunfos”, sublinhou Henrique Chaves.

Mais que o resultado, o terceiro lugar na classe Pro-Am, é a competitividade que deixa o piloto de Torres Vedras mais entusiasmado, apontando, porém, que é preciso trabalhar e melhorar para que seja possível alcançar o potencial já demonstrado. “Fiquei muito satisfeito com a nossa rapidez, tando nossa, dos pilotos, como do McLaren e a capacidade da Garage59 em nos dar um carro competitivo. Agora temos de trabalhar para sermos mais eficientes nas paragens nas boxes. Acredito que o empenho de todos iremos chegar à próxima prova ainda mais bem preparados”, concluiu Henrique Chaves.

A próxima ronda do GT World Challenge Europe Endurance Cup realiza-se em Paul Ricard nos dias 3 a 5 de Junho. Entretanto, o piloto português disputará no dia 17 de Abril a ronda de Paul Ricard do European Le Mans Series.